Ramirez 1853

1853

Sebastião Ramirez estabelece a S. Ramirez, uma fábrica, situada em Vila Real de Santo António, com duas actividades: a produção de tecidos de juta e a preparação de atum em salmoura.

Ramirez Conservas - Antiga Fábrica

1865

A S. Ramirez começa a embalar as suas conservas de atum, cavala e sardinha em latas metálicas, tendo para isso criado uma das primeiras fábricas de latas do mundo.

Ramirez 1890

1890

Na S. Ramirez passa a fazer-se uso do autoclave, que permite obter a temperatura desejada muito rapidamente, diminuindo o tempo de esterilização e evitando a alteração das latas esterilizadas durante o arrefecimento.

1908

1908

Manuel Garcia Ramirez, que sucede ao seu pai na condução da empresa, alarga a actividade à captura de sardinha, adquirindo o Nossa Senhora da Encarnação, o primeiro galeão sardinheiro português a vapor. A Ramirez desdobra-se, com novas unidades em Olhão e Albufeira.

1917

1917

Manuel Garcia Ramirez consolida com sucesso um processo de internacionalização que resulta da conquista de mercados através de marcas próprias, como é o caso da Cocagne, líder do mercado belga, onde entrara 11 anos antes.